quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Feliz dia da Família Gianellina!

Se eu vivesse... 
Se eu estivesse... 
Se eu pudesse...


SE... SE... SE...

Se eu vivesse na Terra em 2014... teria 225 anos de idade.
Se eu estivesse no mundo, estaria festejando os 185 anos do Instituto que sonhei e fundei, as queridas Filhas de Maria. Ficaria maravilhado ao ver o bem que fazem, concretizando a proposta de HORTO, jardim, lugar que produz vida e beleza.

Se eu andasse pelo Brasil, em julho de 2014, teria me alegrado com a realização da Assembleia pré-capitular em que quinze “Filhas” abraçaram a causa do Carisma e da Missão do Instituto, hoje e no futuro. Teria exultado de alegria ao ver como se organizaram e trabalharam bem, com responsabilidade e leveza; com que seriedade valorizaram o caminho feito pela Província e os trabalhos realizados pelas Comunidades sobre o 18º Capítulo geral.
Se eu andasse por aí, teria ouvido boas notícias também das outras Assembleias que já foram feitas na América Latina e nas demais partes do Instituto.

Se eu vivesse na Terra, estaria torcendo e orando pelo bom êxito, ou melhor, pelos bons frutos do 19º Capítulo geral, que está sendo bem preparado. Pediria a Deus que derramasse bênçãos e luzes sobre todas as pessoas comprometidas com esse evento.

Se eu vivesse na Terra, nesse momento histórico, me sentiria feliz ao ver que o Instituto volta às origens, “fazendo-se tudo para todos” e, agora, dando um salto de qualidade, com foco comunitário: “fazendo-se todas a todos”.

Se eu andasse por aí, daria os parabéns à Família Gianellina, pelo cunho evangélico profético dessa proposta: “Com ALEGRIA...” Ah! Como eu gostaria de viver nesse mundo para dizer-lhes que talvez isso – a ALEGRIA, consequência do seguimento de Jesus – seja o ponto diferencial na missão das “Filhas de Maria”, nos tempos atuais.

Se eu vivesse na Terra, visitaria cada Grupo Gianellino, escutaria com gosto a partilha de suas experiências de espiritualidade e solidariedade, rezaria junto e faria algumas propostas missionárias.

Se eu andasse nesse mundo de Deus, reuniria as Irmãs e muitos leigos e leigas para que me contassem o que é a chamada “Família Gianellina, quem faz parte dela, como funciona, que programação desenvolve, que frutos de vida produz...

Se eu me encontrasse com as Irmãs referentes da Família Gianellina, as incentivaria a criarem muitos outros grupos de pessoas tocadas pela Caridade evangélica vigilante.

Se eu pudesse entrar nas Casas de Irmãs anciãs, diria a cada uma delas: façam de tudo para que, ao final de sua peregrinação terrena, “a morte as encontre vivas”! Lembraria a todas que aparecem os limites da idade, da saúde, das forças físicas, das condições mentais... mas a missão evangelizadora é sem limites: podem continuar “santificando-se, fazendo o bem”. E às suas cuidadoras, diria: obrigado pelo generoso serviço à vida que vocês fazem vinte e quatro horas por dia! Cuidem-se para bem cuidar!

Não estou mais nessa Terra... já passei por esse mundo, durante 57 anos... Celebrei  168 anos da minha morte... Celebro, mais que tudo, as boas sementes de evangelho que vocês recolheram e continuam semeando, fazendo florescer e frutificar! De onde estou, posso contemplar feliz os inúmeros “hortos de Maria” que já surgiram e outros tantos que surgirão...

Não estou vivo na Terra, mas fiquei sabendo que muitas pessoas realizam ações missionárias em favor da vida dos mais empobrecidos. Disseram-me que se chamam “Amigos e Amigas de Gianelli”. Então, posso dizer que continuo vivo! Continuo em comunhão com vocês... e o Instituto das Filhas de Maria” continuará cada dia mais VIVO, fazendo VIVER!

Posso dizer que, mesmo não estando na Terra, faço meus giros por aí, alegrando-me com as maravilhas que vocês fazem e distribuindo bênçãos!

Bendigo a Deus porque eu não estou mais na Terra, mas vocês estão!

“Catarina, Clara e as outras” mandam lembranças!

Termino esta conversa com meu abraço e as mesmas palavras que escrevi há 178 anos, ao finalizar uma carta no dia 29 de fevereiro de 1836:  “Adeus em Deus!”


sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Leia as notícias e olhe as fotos da

Família Gianellina em caminho!

As Irmãs do Horto (Gianellinas) em missão no Brasil estiveram reunidas em Assembleia, em Porto Alegre, de 22 a 27 de julho 2014.
Foram dias de convivência e trabalho à luz da Palavra de Deus e contando com o suporte da graça divina e das orações de tantas pessoas que nos acompanharam de perto e de longe.

Começou-se com a pergunta e o mandato do Senhor Ressuscitado a uma mulher discípula-missionária, há dois mil anos, acolhido hoje por outras mulheres, também discípulas-missionárias: 
“Quem é que você está procurando?”... (Jo 20,15b). – Quem?... Quem?...
"Vá dizer aos meus irmãos..." (Jo 20,17b) – O quê?... O quê?... 
A quem procurar e o que dizer, eis a questão, um ponto essencial da vocação-missão no estilo gianellino!

Tudo a ver!
No tempo pós-assembleia, continuaremos fazendo caminho com uma tarefa apostólica: repassar algo da mesma com "palavras de ouro" (a exemplo Santo festejado no dia 30 de julho).

Éramos quinze!
Poucas? Muitas?... Depende do ponto de vista!
Um bom número para viver um clima fraterno, realizar um bom trabalho, pensar mais longe, fazer boas escolhas, dar significativa contribuição ao presente-futuro do Instituto.
Éramos quinze participantes da Assembleia, escolhidas pelas bases como suas representantes. Por isso, estando reunidas, partilhamos sentimentos e ideias sobre o nosso “pouco” e “poucas” (recursos, número, condições etc.)... mas, sobretudo, sobre o nosso “muito” e “muitas”: sonhos e serviços, disposições e possibilidades, desafios a nos desinstalar e portas que se abrem à missão!    
Éramos quinze gianellinas celebrando não resultados, mas mistérios, como fomos ajudadas a refletir numa Missa.
Será exagero pensar que, juntas, éramos “quinze mistérios” em comunhão com outros tantos mistérios da realidade mundial e das comunidades e obras gianellinas?
É demais pensar que novos mistérios da vida e missão Deus vai nos revelando no cotidiano?
Quem sabe nos fará bem buscar resultados, sim... mas sobretudo focalizar mistérios, à luz do Mistério da Trindade!
Assim seja!



   








terça-feira, 22 de julho de 2014

Assuntos de Família...

Gente da Família pensando na Família!
21 de julho 2014, em Porto Alegre: reunião das Irmãs do Horto, referentes da Família Gianellina em suas Comunidades.


segunda-feira, 21 de julho de 2014

Família Gianellina fazendo caminho!



 Passaram-se 10 anos...

Neste julho de 2014 fazemos memória de um encontro de Gianellinas, realizado em julho de 2004, em Alta Gracia/Argentina: reuniram-se 63 Irmãs do Horto jovens, em companhia de cinco assessoras e acolhidas pelas Irmãs das Comunidades próximas.
Na mescla de nacionalidades representadas, a circulação do mesmo Carisma!  
Argentina (anfitriã): 40; Paraguai: 10; Índia: 01; África: 01; Estados Unidos: 01; Uruguai: 04; Itália: 03; Brasil: 03.
Bendizemos a Deus pela realização do evento e nos alegramos pelos bons resultados daquela semeadura gianellina na vida das participantes e na missão de suas Comunidades.


 O espírito que animou o grupo e inspirou novos passos na caminhada está expresso no HINO, cantado tantas vezes durante o Encontro:

  Libres para amar
En comunión, con fuego e pasión, renovando la misión,
que nuestra vida se haga canción del corazón.
 SOLTEMOS LAS ALAS PARA PODER VOLAR.
LIBRE MI CORAZÓN PARA AMAR.
 La sed de amor nos lleva a luchar por los pobres de Jesús,
a construir un mundo mejor en la misión.
 Hay un fuego que nos quema. Libres, fieles, para soñar.
/:Gianellina, no te detengas,tu camino es la santidad.:/
Nuestra juventud quiere un amor sin fronteras,
unos brazos nuevos y un mejor porvenir.
No tengamos miedo de dar hoy la respuesta.
/:Nuestro desafío es amar e servir.:/
 Ale, ale, aleluia! Alabemos al Señor.
Ale, ale, aleluia!  Gloria a Dios!


 Passaram-se 10 anos... mas o entusiasmo continua e a vibração se faz sentir no cotidiano das comunidades e nos espaços de missão... Ou não?

Fazia muito frio naquele julho de 2004 e, no local do Encontro, o fogo de uma lareira aquecia a casa e os corações.
Passaram-se 10 anos...  e o “nosso fogo” do carisma gianellino continua aceso no cotidiano das comunidades e nos espaços missionários... Ou não?
  


O grupo saiu do Encontro com alguns DESAFIOS na bagagem:
·     Autoconhecimento que nos ajude a viver na verdade e no respeito, compartilhando nossas riquezas, espiritualidade e potencialidades.
·     Formar a consciência de pertença a um Instituto intercontinental, que nos prepare para lançar-nos com confiança e disponibilidade às urgências da humanidade, na Igreja e em nossa Família Religiosa, sempre atentas aos sinais dos tempos, na inculturação e itinerância.
·     Favorecer experiências missionárias em ambientes pobres que nos preparem para uma vida simples e comprometida com sua causa.
·     Firmar convicções para viver a pobreza na abundância, desprendidas de nós mesmas e das coisas, abandonadas à Divina Providência.
·     Renovar cada dia nossa opção por Cristo para uma entrega sincera e total ao Senhor que se revela no cotidiano.
·     Estabelecer relações profundas e simples para formar comunidades abertas e acolhedoras.
·     Assumir compromissos concretos com o cuidado da Criação e com a construção da Justiça e da Paz.
·     Revitalizar nossa espiritualidade, promovendo a tradução do material gianellino e do estudo do italiano, como idioma comum.
·     Promover uma cultura vocacional que acompanhe as jovens no processo de discernimento, como também aquelas que abandonam a Congregação.
·     Abrir perspectivas e priorizar a opção pelos pobres, famílias e jovens no momento de realizar a redimensão das obras e serviços.
·     Cultivar uma oração transformante que nos ajude a viver nossa consagração na radicalidade, essencialidade e dinamismo.
Passaram-se 10 anos... e o compromisso foi levado adiante por essas Gianellinas “firmes e fiéis” na profecia... Ou não?




O grupo de Gianellinas Jovens esteve reunido, de 17 a 25 de julho de 2004, “tirando do seu baú coisas novas e velhas, como discípulas do Reino (cf. Mt 13,52), partilhando caminhos feitos e projetando novos passos vocacionais missionários.
Passaram-se 10 anos...
Onde estão as 63 Filhas de Maria cheias de ardor na alma e “asas soltas” para ir mais longe na missão, chegar mais perto das pessoas, lançar-se no Jogo da Vida?...
Como estão essas Gianellinas - jovens na época, não tão jovens agora - que estiveram juntas por alguns dias?  Continuam “em comunhão, com fogo e paixão, renovando a missão”?...
No que fazem e com quem convivem, sua vida se faz “canção do coração”?...
Como seria bom ter notícias disso tudo!



Passaram-se 10 anos... Não pode passar “a sede de amor que leva a lutar pelos pobres de Jesus e a construir um mundo melhor na missão”.

Passaram-se 10 anos... E as Gianellinas continuam “livres e fiéis para sonhar... sem deter-se no caminho que é a santidade”... sem esmorecer diante do desafio que é “amar e servir”. Certamente, prosseguem seu caminho missionário “em rede”, mas sem “enredar-se”... Ou não?


Passaram-se 10 anos... Imagina-se que essas pessoas continuam querendo “um amor sem fronteiras, braços novos e um futuro melhor”.e prosseguindo na trilha gianellina “sem medo de dar hoje a resposta”...

Passaram-se 10 anos... mas não passou a Graça daquele julho 2004, em Alta Gracia!

Passaram-se 10 anos... E a Família Gianellina continua cantando:  “Alê, alê, aleluia!  Louvemos ao Senhor!  Alê, alê, aleluia!  Glória a Deus!”

Passaram-se 10 anos... O que se passou com cada participante daquele Encontro, bem que gostaríamos de saber, mas... só Deus sabe!

Abraços, na esperança de que esse evento não tenha ficado “in memoriam”, mas continue bem vivo, “dando frutos cem, sessenta e trinta por um” (cf. Mt 13, 8 e 23)!

Neiva Moresco, fmh





quarta-feira, 2 de julho de 2014

Família Gianellina em festa!

FESTA DE NOSSA SENHORA DO HORTO
02 de julho de 2014 

1493
Nasceu uma devoção a MARIA, Mãe de Jesus, sob o título de NOSSA SENHORA DO HORTO. 
Num momento de dificuldade do povo, sua imagem foi pintada no muro de um Horto, na cidade de Chiávari, Itália.  A Mãe voltada para a rua, erguendo o braço de seu Filho Jesus em atitude de bênção... e os filhos e filhas passando perto e olhando, parando e rezando...
Passou-te o tempo e, acabado o sofrimento da epidemia na região, diminuiu o movimento junto à imagem da Senhora pintada no muro do horto... Mas a Mãe Maria continuava acompanhando e abençoado o povo.

1610
Passados mais de 100 anos, a devoção foi reativada pela graça de Deus e ação de um jovem trabalhador que, passando perto do muro do horto, viu uma luz em movimento em direção à praça... e reconheceu a imagem daquela Senhora.
Durante a Novena, rezamos cantando: Virgem do Horto, divina luz do céu, eu te imploro uma nesga de luz... Ensina teu povo a rezar que, um dia, teu povo desperta e, na certa, vai ver a luz.
Maria em movimento... em direção à praça! Ela nos convida ao discipulado missionário, a pôr-nos em movimento na direção dos outros.

1829
Passados mais de 200 anos desde a revitalização da devoção à Virgem do Horto e estando a imagem original (1493) recortada do muro e colocada no altar da Catedral de Chiavari, Santo Antônio Gianelli funda uma Família Religiosa: o “Instituto das Filhas de Maria”. E, pela devoção à Senhora do Horto e tendo em mente uma proposta de vida, completou o nome: “Filhas de Maria Santíssima do Horto”. Um nome que traduz uma inspiração - MARIA - e um caminho de vida - SANTIDADE no estilo de HORTO e FONTE!

1998
Palavras do PAPA JOÃO PAULO II, na saudação feita na chegada em CHIÁVARI para Visita à Diocese, no dia 18 de setembro de 1998:
 [...] “ O título de Nossa Senhora do Horto, originado do fato que a pintura de Borzone se encontrava no muro daquele que era chamado horto do Capitão, leva-nos a pensar nos jardins e hortos presentes na história da salvação: desde aquele do Éden, lugar de inocência e de felicidade dos progenitores, mas que se tornou muito depressa lugar da desobediência e do pecado, até ao do Getsêmani, onde o novo Adão, Cristo Jesus, iniciou a fase decisiva da redenção sofrendo até suar sangue (cf Lc 22, 44), o jardim que deveria constituir a alma de cada cristão, para ser digno de acolher Cristo juntamente com a sua Mãe. Feliz é, por isso, esta Diocese que, nas suas estruturas visíveis, mas sobretudo no invisível mistério da sua realidade espiritual, aspira a ser o jardim de Maria: Hortus conclusus, como cantais de bom grado especialmente nas “festas de julho”, fons signatus, ó Maria! Emissiones tuae paradisus. “Paradisus”: um novo jardim de inocência e de alegria.”

2014 
Muita gente fez a Novena... e está em Festa!
“Todos os Povos, todas as cores!” Com essa frase, circulam os ônibus em Porto Alegre/RS - Brasil, onde se encontram milhares de pessoas de outros países
Maria, mãe de Jesus, é mãe de todos os povos!
Nossa Senhora do Horto é a mãe de Jesus festejada neste 02 de julho e invocada todos os dias por tantos os povos, de todas as cores, em muitos lugares e de todos os jeitos!
É a Mãe que se envolve e se enfeita com bandeiras multicoloridas, como se fosse o abraço de muitos filhos e filhas que confiam nela, seguem seus ensinamentos e pedem a sua proteção.

 Depois dos nove dias de orações e escuta da Palavra de Deus, de contemplação do jeito de Maria e busca de mais luz para o caminho, a Família Gianellina pode rezar hoje essa oração antiga, tão antiga como a devoção à Senhora e Mãe do Horto:
“Ó Mãe minha do Horto, dá-me ajuda, dá-me conforto,
dá-me um coração cheio de amor por Jesus, meu Redentor.
Oh! faze santa a minh’alma, ó dulcíssima Maria!
Ó Mãe, doce e querida, escuta quem te chama.
Salva, Maria, quem te ama e tanto confia em ti.”

Maria, mulher orante e trabalhadora, Senhora da prontidão, é a Mãe que nos ajuda no seguimento de Jesus e nos ensina a “ir onde outros não podem ir” e é preciso que alguém vá... Estar onde outros não podem estar e é preciso que alguém marque presença... Ou até ir onde outros já estão, mas falta alguém que pode fazer a diferença... alguém que pode ser você... e pode ser agora!

Acabou a Novena, fizemos a Festa e o nosso amor a Maria se fortaleceu e é firme a nossa disposição de ser melhores... por isso rezaremos e cantaremos sempre: 
Humilde Serva, vem nos ensinar por onde ir e como caminhar, 
servindo a Deus e também ao nosso irmão, 
como resposta à nossa Vocação!

Em comunhão com todas as pessoas devotas de Nossa Senhora do Horto, pedimos sua bênção:
“Com a mão de teu Filho, abençoa-nos, Virgem Maria!”

Confiamos que, das igrejas ou capelas, dos muros dos jardins ou do alto das torres, ela continuará voltando seu olhar para nós e acompanhando nossos passos.




quinta-feira, 26 de junho de 2014

Família Gianellina em Novena, 
preparando a Festa de sua Padroeira!

Foto do quadro de Nossa Senhora do Horto que se encontra num muro, na Av. Belém Velho, Porto Alegre/RS – Brasil. As pessoas que passarem por lá, estão convidadas a parar e rezar... ou, ao menos, dirigir seu olhar a MARIA, mãe de Jesus, nesse quadro representada.
Quer ler a frase escrita no quadro já estará fazendo uma oração.



Corpus Christi, 
uma festa religiosa da Igreja Católica!
Novena e Festa de Nossa Senhora do Horto, 
um evento da Família Gianellina!

Em Dom Pedrito/RS – Brasil, as Irmãs e equipes da Escola do Horto integraram os dois eventos, em demonstrações de Fé e Solidariedade: enfeitaram ruas da cidade para o dia de Corpus Christi também com agasalhos tecidos pelas mulheres da Confraria do Horto.
Alunos, educadores/as, famílias, comunidade local e Irmãs FMH reunindo-se na Capela para orar, escutar a Palavra de Deus, festejar Maria, mãe de Jesus e saindo às ruas para gestos de solidariedade em favor de pessoas necessitadas de agasalho nesta estação do frio.
Há muita gente vivendo seu Batismo cristão fazendo o Bem, JOGANDO A FAVOR DA VIDA!
Você também pode ir a uma igreja ou capela, recolher-se num oratório em sua casa ou local de trabalho e REZAR, fazer a NOVENA... Mas, como sinal de verdadeira devoção mariana e compromisso com a Palavra de Deus, SAIA de seu pequeno mundo e faça alguma AÇÃO de Caridade evangélica vigilante. VÁ PRA RUA, isto é, ponha em AÇÃO as suas REZAS, “entre em campo”, junte-se a outras pessoas para “jogar a favor da vida”... “chute a gol” na direção do seu próximo, em casa e fora de casa... seja “titular” no time de sua família e comunidade: tome iniciativas, crie situações de Bem, faça “jogadas de conjunto”, não apenas individuais...

Olhando as fotos a seguir, você verá que em Dom Pedrito tem gente mobilizada. Certamente, em muitas partes do mundo está acontecendo o mesmo com tantos devotos de Nossa Senhora do Horto que, nestes dias, fazem a Novena em preparação à festa de 02 de julho.







                                                                                                                          

sexta-feira, 20 de junho de 2014

No Horto de Maria, muitos gols a favor da Vida!

21 de junho 2014: Família Gianellina
"entrando em campo"...

Grupos que seguem os passos de Santo Antônio Gianelli
e são devotos de Nossa Senhora do Horto
erguem a bandeira mariana e entram no jogo a favor da vida!